Eco-Marketing Paulista, Pernambuco

Esta página disponibiliza informações sobre o consumo de produtos e marcas verdes no Brasil, os aspectos importantes a serem destacados na produção de produtos verdes e uma lista de empresas e profissionais especializados no assunto na cidade de Paulista. Encontre abaixo empresas e profissionais da região de Paulista que oferecem diversos produtos e serviços relacionados e ainda esclareça suas dúvidas sobre os fatores que ajudam as empresas a se diferenciarem no mercado e na percepção dos seus consumidores.

Link Bagg Comunicação e Propaganda Ltda
(81) 2127-0999
av Antônio de Góis,Eng, 60, An 9 Sl 905, Pina
Recife, Pernambuco

Dados Divulgados por
Simone Comunicação
(81) 3469-7306
r José Bras Moscow, 5036 ap 301 sl A Candeias
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
New Target Publicidade
(81) 3361-7901
av Bernardo Vieira Melo, 3816 sl 105 Piedade
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
Regional Promo
(81) 3468-1800
av Ayrton Senna Silva, 751 Piedade
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
Canuto Producoes Agencia de Publicidade, Propaganda e Servicos Ltda
(81) 3224-2782
av Dantas Barreto, 645, An 1 Sl 104, São José
Recife, Pernambuco

Dados Divulgados por
A A A Comunicação Shalom
(81) 3363-0333
r NS do Loreto, 210 Piedade
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
Marco Zero Serviços Editoriais Ltda
(81) 3341-0720
av Ulisses Montarroyos, 1750 Piedade
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
K L M Com e Rep Ltda
(81) 3462-3698
r Hermínio Alves Queiroz, 44 Piedade
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
R.v. Comunica Marketing Ltda
(81) 3221-9303
r Miguel Joaquim César, 101, Curado III
Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco

Dados Divulgados por
TRADE 81 COMUNICAÇÃO DO NORDESTE LTDA
34327161 99424721
AV GOVERNADOR CARLOS DE LIMA CAVALCANTI 3995
OLINDA, Pernambuco
 
Dados Divulgados por

O Biólogo do Marketing [parte3]

Marketing está ligado a consumo.
Biologia está ligado a natureza = verde.

E como é o consumo verde no Brasil?

O consumo verde no Brasil. 

Algumas considerações e reflexões
por Fred Tavares

O fenômeno do consumo de produtos e marcas1 verdes no Brasil é resultado da multiplicidade da composição de vários fatores articulados através das lógicas da sociedade de controle e do capitalismo mundial integrado, do paradigma da sustentabilidade e, principalmente, pela participação dos atores sociais (empresas, consumidores, mídia e ONGs), por intermédio do conceito de rizoma.

Como biopoder, esse fenômeno é desenvolvido na modernidade líquida (pós-modernidade) como um dispositivo de controle capaz de articular vida, modos de ser; além de produzir subjetividades, ordenações políticas e sociais, cultura de consumo e, também, responsabilidade ambiental.

O consumo de produtos e marcas verdes se apresenta graças a um agenciamento mútuo e coletivo, em que cada um dos atores influencia e é influenciado por esse movimento sinóptico.

Nesse sentido, existem aspectos importantes a serem destacados na sua produção: uma sociedade mais responsável e preocupada com assuntos relacionados à temática ambiental; uma demanda por “produtos ecologicamente corretos”; uma mídia mundial, dinâmica e transparente, que passa a incorporar valores e princípios éticos; parcerias entre ONGs, governos, empresas e sociedade civil com intuito de buscarem ações que ratifiquem a estratégia da sustentabilidade; e também uma nova estratégia para as empresas se diferenciarem no mercado e na percepção dos seus consumidores.

Ou seja, fatores políticos, sociais, econômicos, culturais, ambientais se interconectam, por meio de um rizoma, com sua multiplicidade de vetores e movimentos; individualmente e coletivamente, tendo a mídia um papel estratégico de difusão e produção de sentido, sendo um dos atores em condições de atravessar os demais na criação da cultura de consumo verde no Brasil.

Se os atores sociais ajudam a constituir o fenômeno do consumo de produtos e marcas verdes, a sua construção também passa pela complexa rede de fatores a ele ligados, ou seja, os aspectos sociais, culturais, econômicos, políticos e ambientais.

Nessa perspectiva, os principais são: a mundialização, o desenvolvimento sustentável e o capitalismo mundial integrado, inseridos no âmbito da sociedade de controle.

Deve-se, ainda, considerar o tempo dos fatos e acontecimentos, isto é, contextualizar a noção de modernidade líquida como o marco temporal que corrobora a idéia de uma sociedade volátil, consumista, que busca ter para pertencer. E, nesse sentido, os produtos e as marcas verdes podem ser entendidos como dispositivos de controle dessa nova sociedade de consumo.

Nessa nova ordem mundial, em que as relações entre sociedade e meio ambiente ganham novos contornos e dimensões, através do olhar do desenvolvimento sustentável, desponta o consumo de produtos e marc...

Clique aqui para ler este artigo em Um Novo Mundo